quinta-feira, 13 de julho de 2017

Projeto Arte Com Visão
Quando os 11 bailarinos do Projeto Arte com Visão, do Instituto Mundo Novo, souberam que iriam representar a Baixada Fluminense no Festival de Dança de Joinville, tido como o maior do mundo, a alegria foi unânime, mas logo o sentimento foi substituído pelo medo: como levar os 11 para o festival que ocorrerá em Santa Catarina a partir do dia 18 deste mês? O projeto, que no momento está sem patrocínio, fez de tudo: festivais, festas, bazares, pediu apoio da Prefeitura de Mesquita e de empresas da região, mas não conseguiu o suficiente e ainda faltam R$ 14,5 mil, valor cobrado pela empresa de ônibus para levar os jovens e a equipe para a competição, que irá até o dia 29.

Dos 12 dias de festival, o instituto optou por participar de apenas cinco, já que não tinha recursos para arcar com os gastos com os outros sete dias. Segundo Bianca Simãozinho Carvalho, presidente do Instituto Mundo Novo, que há 14 anos ensina dança para crianças e adolescentes da Chatuba, em Mesquita serão cinco apresentações por dia, e a seleção foi árdua. “Apresentamos coreografias, passamos por seleções, mandamos vídeos, a preparação começou no ano passado”, relembra ela. “No ano passado conseguimos o apoio do SESI Cidadania que patrocinou nossa ida até Joinville, mas esse ano tentamos vários apoios e parcerias, mas não conseguimos. Estamos muito tristes em saber que todo esforço do nosso grupo e equipe foram em vão para participarmos do Festival”, conta Bianca. “Atendemos mais de 200 crianças hoje, em 12 anos já atendemos mais de 2 mil e sempre conseguimos grandes resultados. Já fizemos tudo que estava ao nosso alcance, mas ainda falta muito para conseguirmos o valor para a viagem”, aponta ela.

Projeto Arte Com Visão
Atualmente, pouco mais de R$ 2.200 foram arrecadados através do crowdfunding hospedado no site de arrecadação de recursos Vakinha. “Já havíamos decidido cancelar nossa viagem, fizemos até um comunicado oficial, mas várias pessoas nos pediram para não desistir, criar uma vaquinha virtual, é isso que estamos fazendo, precisamos da ajuda de todos para mostrar o potencial que a Baixada Fluminense tem”, aponta Bianca, que espera conseguir o apoio necessário. “Se alguma empresa de ônibus quiser nos ajudar cedendo um ônibus ou dando um desconto, nos ajudaria muito, precisamos de ajuda de todos agora”, afirma.

Instituto Mundo Novo

O Instituto Mundo Novo é uma organização sem fins lucrativos que leva alternativas culturais para a Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. A região, apresenta altos índices de vulnerabilidade social e poucas alternativas de desenvolvimento artístico e social para jovens e adolescentes. Indignada com isso, e apesar da pouca idade, Bianca Simãozinho Carvalho, de 30 anos, iniciou o que viria a se tornar o Instituto Mundo Novo, quando tinha apenas 16 anos. O sonho de Bianca tornou-se um projeto da família inteira, que colabora arduamente com o instituto, que já atendeu mais de 2 mil crianças e adolescentes em 14 anos de existência. Além de balé, o Instituto Mundo Novo ainda promove aulas de danças , além de reforço escolar, oficinas de corte e costura e cursos de empreendedorismo para jovens e adolescentes da região. Atualmente, 200 crianças e adolescentes são impactados diretamente pelas ações da instituição.

Serviço:

O que: Projeto Arte com Visão faz vaquinha virtual para ir para o maior festival de dança do mundo, que acontecerá em Joinville, Santa Catarina, a partir do dia 18 de julho. Colabore através do link: www.vakinha.com.br/vaquinha/salve-a-ida-do-projeto-arte-com-visao-para-joinville. Se preferir, doe através do PayPal, no link: goo.gl/3HeTxV. Mais informações através do site: www.ongmundonovo.org.br.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário

Lançamento

Lançamento
Escrito por Teresa Montero, biógrafa de Clarice Lispector, com orelha por Sergio Fonta e depoimentos de inúmeros artistas, como Malu Mader e Tony Ramos, Wal Schneider e sua equipe lançam o livro que marca os 10 anos de No Palco da Vida.

Lançamento

Lançamento
A obra trata-se de uma antologia poética que reúne 91 poetas de diversos países que falam o idioma português, como Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique e Portugal, além do Brasil. O livro conta ainda com a quarta capa de Pepetela, o maior escritor de África.

Lançamento

As mais lidas

Super Click

Super Click
crédito: Lia Amorelli

Google+ Nossos Seguidores

Twitter