quinta-feira, 16 de outubro de 2014


·        Com direção e cenografia do artista e designer gráfico Luciano Figueiredoo poeta, compositor e filósofo Antonio Cicero apresenta “O que é a poesia?”

·        Próxima apresentação será no dia de 22 de outubro, às 19h30, e haverá mais uma, no dia 19 de novembro, sempre no Oi Futuro em Ipanema

Uma quarta-feira por mês Antonio Cicero vem apresentando sua palestra-show “O que é a poesia?”, no Oi Futuro em Ipanema. As próximas serão nos dias 22 de outubro e 19 de novembro. O compositor, poeta, crítico literário, filósofo e escritor convidará o público a ler e viajar com ele por alguns poemas, com a intenção de levar a ele uma “dimensão poética do ser”, em suas palavras. O espetáculo terá direção de Luciano Figueiredo, responsável pelo projeto gráfico da revista Navilouca, editada pelos poetas Torquato Neto e Waly Salomão, nos anos 1970, e que em 2013, participou do projeto Poesia Visual, no Oi Futuro, com duas exposições.

Segundo Cicero, a poesia escrita é capaz de transportar o leitor para uma dimensão do ser inteiramente diferente da dimensão cotidiana – prática e utilitária – em que todo o mundo passa a maior parte da vida. Trata-se da “dimensão poética do ser”. Para atingi-la, porém, não se pode ler um poema como se lê um texto qualquer, tal como um artigo de jornal, um e-mail ou uma bula de remédio.

A cada apresentação, com direção de Luciano Figueiredo, Antonio Cicero proporcionará um mix de sensações fazendo leituras, comentários e reflexões de cerca de 30 poemas. Serão exibidos trechos de filmes de grandes nomes como Jean-Luc Godard e Charlie Chaplin, projeções e áudios de poemas de autores como Vinícius de Moraes, Ferreira Gullar e Augusto de Campos, quadros de Miró e Degas, além, claro, da leitura de poemas de sua autoria e de outros autores, clássicos e contemporâneos, como Carlos Drumond de Andrade, Sartre, Luis de Camões, Manuel Bandeira, Ivan Junqueira, Nelson Ascher e muito mais.

Paralelo a este novo trabalho, Antonio Cicero viaja o Brasil todo ministrando conferências sobre poesia, filosofia e literatura.


Sobre Antonio Cicero
Nasceu em 1945, filho dos piauienses Amélia Correia Lima e Ewaldo Correia Lima. Seu pai foi um dos intelectuais fundadores do ‘Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB)’, tendo sido também diretor do BNDE durante o governo JK. Em 1960, Ewaldo assume um cargo executivo no ‘Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)’, que então acabava de ser criado, e toda a família se transfere para Washington, D.C.. Lá, Antonio Cicero fará seus estudos secundários.

Alguns anos depois, de volta ao Brasil, Antonio Cicero começa a cursar filosofia na PUC do Rio de Janeiro e, depois, no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais daUFRJ. Em 1969, devido a problemas políticos, vai para Londres, onde conclui o curso de filosofia na Universidade de Londres. Em 1976, Cicero vai fazer pós-graduação na Georgetown University, nos Estados Unidos, onde estuda grego e latim, o que lhe permitirá ler no original clássicos como Homero, Píndaro, Horácio e Ovídio. Posteriormente lecionará Filosofia e Lógica, em universidades do Rio de Janeiro.
Escreve poesia desde jovem, mas seus poemas só apareceram para o grande público quando sua irmã, a cantora e compositora Marina Lima, passou a musicá-los. Antes, porém, já eram suas canções como Fullgás, Para Começar e À Francesa - as duas primeiras em parceria com sua irmã, e a última com Cláudio Zoli. A partir de então, tornar-se um dos mais próximos parceiros de Marina. Entre outras parcerias, destacam-se aquelas com Waly Salomão, João Bosco, Orlando Moraes, Adriana Calcanhotto (co-autora, junto com Antonio Cicero de Inverno e gravou Maresia de Antonio Cicero e Paulo Machado) e Lulu Santos (co-autor, junto com Antonio Cicero e Sérgio Souza, do hit O Último Romântico, de 1984).

De 1991 a 1992, Cicero coordenou, em colaboração com o poeta e professor de Filosofia da Universidade Federal Fluminense Alex Varella os cursos de Estética eeoria da Arte do Galpão do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM-RJ).

Em 1993, concebeu, em colaboração com o poeta Waly Salomão e com o patrocínio do Banco Nacional, o projeto "Banco Nacional de Ideias", através do qual, nesse ano e nos dois anos subsequentes, promoveu ciclos de conferências e discussões de artistas e intelectuais de importância mundial, como João Cabral de Melo Neto, Haroldo de CamposJohn Ashbery, Derek Walcott, Caetano Veloso, Richard Rorty, Tzvetan Todorov, Hans Magnus Enzensberger, Peter Sloterdijk, Ernest Gellner, Darcy Ribeiro, entre outros.

Em 1994, em parceria com Waly Salomão, lançou o volume de ensaios O relativismo enquanto visão do mundo.

Em 1995, publicou O Mundo Desde o Fim, uma reflexão filosófica sobre a modernidade.

Em 1996, lançou o livro de poemas Guardar, vencedor do Prêmio Nestlé de Literatura Brasileira na categoria estreante. Lançou também um CD em 1996, Antonio Cicero por Antonio Cicero, onde recita seus poemas.

Em 2002, participou, junto com outros artistas como Gabriel o Pensador, Chico Buarque, Ronaldo Bastos e Fernando Brant, entre outros, de uma coletânea de quatro CDs em homenagem ao poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade. E lançou o livro de poemas A cidade e os livros.

Em 2003, em parceria com Eucanaã Ferraz, organizou a Nova antologia poética de Vinícius de Morais.

Em 2005, lançou o livro de ensaios filosóficos Finalidades sem fim.
Antonio Cicero foi, de abril de 2007 a novembro de 2010, colunista do jornal Folha de S. Paulo.

Em junho de 2007, Antonio Cicero apresentou em Lisboa a palestra "Da atualidade do conceito de civilização", no encontro intitulado O Estado do Mundo, organizado pela Fundação Gulbenkian, publicada, em Portugal, no livro A urgência da teoria (Lisboa: Gulbenkian, 2007) e, na Inglaterra, traduzido por "On the concept of civilization", no livro The urgency of theory (Manchester: Carcanet, 2007).

Em novembro de 2008, pronunciou a palestra de encerramento do Congresso Internacional Fernando Pessoa, em Lisboa, publicada, com o título de "Fernando Pessoa: poesia e razão", em Pessoa. Revista de ideias, em dezembro de 2010.

Em 2010, em parceria com o artista plástico Luciano Figueiredo, lançou o Livro de sombras: pintura, cinema e poesia.

Em 2012, lançou o livro de poemas Porventura, o livro Poesia e filosofia (ensaio filosófico) e organizou o livro de ensaios estéticos Forma e sentido contemporâneo: poesia. E foi agraciado com o “Prêmio Alceu Amoroso Lima – Poesia e Liberdade”.

Em 2013, várias entrevistas suas foram reunidas no livro, organizado por Arthur Nogueira, Encontros: Antonio Cicero.

Hoje, viaja todo Brasil ministrando conferências sobre poesia, filosofia e literatura.


Sobre Luciano Figueiredo
Luciano Henrique Pereira de Figueiredo (Fortaleza CE 1948). Artista intermídia, designer gráfico, cenógrafo e pintor. Inicia a vida profissional nos anos 1960 como cenógrafo, em Salvador. Em 1967, participa da 9ª Bienal Internacional de São Paulo. Transfere-se para o Rio de Janeiro em 1969, e passa a criar cenografias para shows musicais e peças de teatro e a desenvolver projetos gráficos para discos, livros e revistas, entre elas, a Navilouca, editada pelos poetas Torquato Neto (1944 - 1972) e Waly Salomão (1944 - 2003). Entre 1972 e 1978, vive em Londres, onde estuda história da arte e literatura inglesa, interessa-se pelas possibilidades visuais da página impressa de jornal e, com base em pesquisas, desenvolve pinturas e objetos tridimensionais com colagens, malhas de arames e relevos monocromáticos. De volta ao Brasil, no fim da década de 1970 e início da seguinte, trabalha como diretor de arte em filmes do cineasta Júlio Bressane (1946). Entre 1981 e 1995, atua como diretor técnico do Projeto Hélio Oiticica, no Rio de Janeiro, e, em 1994, é responsável pelas salas especiais Hélio Oiticica e Lygia Clark na 22ª Bienal Internacional de São Paulo. É nomeado diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas da Fundação Nacional de Arte - Funarte em 1986 e funda o Instituto Nacional de Artes Gráficas no mesmo órgão, dois anos depois. Paralelamente, realiza diversas exposições de pinturas e objetos em galerias do Rio de Janeiro e São Paulo.

Sobre o Oi Futuro
O Oi Futuro é o instituto de responsabilidade social da Oi, que desenvolve e apoia programas e projetos nas áreas de educação, cultura e sustentabilidade. O Oi Futuro tem um compromisso com a transformação e com a inclusão social, tendo como missão promover o desenvolvimento humano por meio das tecnologias da informação e da comunicação. Desde 2001, suas ações visam democratizar o acesso ao conhecimento e reduzir distâncias geográficas e sociais, com especial atenção à população jovem.

Na educação, os programas NAVE e Oi Kabum! usam as tecnologias da informação e da comunicação, capacitando jovens para profissões na área digital e criativa, fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de educadores da rede pública e fomentando o desenvolvimento de modelos inovadores. Já na área cultural, o Oi Futuro mantém dois espaços culturais no Rio de Janeiro (RJ) e um em Belo Horizonte (MG), com programação nacional e internacional de qualidade reconhecida e a preços acessíveis, e o Museu das Telecomunicações nas duas cidades, além de apoiar festivais e projetos em todas as regiões Brasil por meio do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados.

O programa Oi Novos Brasis reafirma o compromisso do Instituto no campo da sustentabilidade, com o apoio e o desenvolvimento de parcerias com organizações sem fins lucrativos para a viabilização de ideias inovadoras que utilizem a tecnologia da informação e comunicação para acelerar o desenvolvimento humano. O esporte completa o seu escopo de atuação apoiando projetos aprovados pelas Leis de Incentivo ao Esporte, tendo sido a Oi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos socioeducativos inseridos na Lei Federal.

SERVIÇO
Temporada: dias 20/08, 17/09, 22/10 e 19/11 (04 apresentações)
Dia e Horário: quartas-feirasàs 19h30
Local: Oi Futuro Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema)
Informações: (21) 3131- 9333
Classificação Indicativa: 14 anos
Duração: cerca de 75 minutos
Capacidade: 94 lugares
Ingresso: Entrada Franca (*retirada de senha 60 minutos antes da apresentação)
Gênero: Palestra-show

Mais informações sobre “O Que é a Poesia?”:
Daniella Cavalcanti – Assessoria de Imprensa
Tel.: (21) 2511-7625
Cel.: (21) 88769660 ou 98876-9536

Mais informações sobre o Oi Futuro:
Leïlah Accioly
Comunicação Corporativa – Oi
Oi Fixo: (21) 2556-6698


0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário

Lançamento

Lançamento
Escrito por Teresa Montero, biógrafa de Clarice Lispector, com orelha por Sergio Fonta e depoimentos de inúmeros artistas, como Malu Mader e Tony Ramos, Wal Schneider e sua equipe lançam o livro que marca os 10 anos de No Palco da Vida.

Lançamento

Lançamento
A obra trata-se de uma antologia poética que reúne 91 poetas de diversos países que falam o idioma português, como Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique e Portugal, além do Brasil. O livro conta ainda com a quarta capa de Pepetela, o maior escritor de África.

Lançamento

As mais lidas

Super Click

Super Click
crédito: Lia Amorelli

Google+ Nossos Seguidores

Twitter